Coluna

De acordo com estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 80% das pessoas de todo o mundo sentem ou vão sentir, em algum momento, dores nas costas. Na maioria dos casos, um dos fatores que contribuem para essa dor na coluna vertebral é a má postura.

A principal queixa é a lombalgia, a famosa “dor nas costas”, que ocorre na região posterior da coluna, entre as costelas e a bacia. Não se trata de um diagnóstico, mas de um sintoma: dor.

Desta forma, a causa para esse desconforto pode ser proveniente da coluna vertebral e também pode envolver todas as estruturas próximas à região, incluindo o sistema urogenital, respiratório, vascular e outras articulações, como o quadril.

A melhor maneira de diferenciar estes fatores é através de um exame físico completo associado a uma conversa ampla com o paciente sobre os sintomas do desconforto nas costas.

Os exames de imagem são igualmente importantes para comprovar as suspeitas clínicas que foram obtidas na consulta. Alterações de imagem são frequentes, no entanto só podem ser valorizadas se compatíveis com o exame físico e com as queixas do paciente.

No Instituto Vita, esse desconforto na coluna é tratado por uma equipe multidisciplinar (médico, fisioterapeuta, educador físico e psicólogo), com base em estudos realizados. A compreensão da doença faz parte do tratamento e evita medos e mitos relacionados à dor.

Quando há necessidade de cirurgia, nossa equipe de especialistas (Dr Alexandre Sadao, Dr Carlos Tucci, Dr Guilherme Meyer e Dr Thiago Coutinho) tem formação para realizá-la da maneira menos traumática possível, utilizando técnicas menos invasivas e as mais efetivas.

Tão ou mais importante que manter a postura ereta durante o dia, é fazer o fortalecimento e alongamento da coluna e dos músculos constantemente. Acreditamos que a prática de exercícios com orientação profissional aliada à medicina baseada em evidências científicas é a melhor e mais segura forma de tratar nossos pacientes.

Escoliose e deformidades na coluna

A coluna naturalmente tem que possuir uma espécie de linha reta em sua forma, mas no caso da escoliose é possível observar uma deformidade na estrutura das costas, em que a coluna vertebral é semelhante a um “S”, divergindo muito do que normalmente tem que aparentar.

Na maioria dos casos, no entanto, trata-se de curvas benignas e que não progridem. O aspecto mais importante do tratamento é a identificação precoce da deformidade e de seu eventual progresso.

Essas malformações, geralmente, pioram nas fases de maior crescimento das crianças e adolescentes (estirão de crescimento). Nas meninas, por exemplo, o pico de crescimento acontece antes da primeira menstruação (menarca), o que torna o diagnóstico um pouco tardio em alguns casos.

A melhor forma de identificar essa curva característica da deformidade nas costas é suspeitar naturalmente dela. Assimetrias na cintura da criança e alterações na altura da bacia e ombros levam a essa desconfiança. Nesse caso, uma consulta com um ortopedista levará ao diagnóstico e seu correto tratamento, que vai desde a observação do paciente e realização de atividade física leve até o uso de colete postural e cirurgia em casos mais graves.

ALGUMA DÚVIDA?

Vamos adorar ouvi-lo e responder quaisquer dúvida.

Not readable? Change text.