Dor no ombro

O ombro, com o desenvolvimento dos esportes e o aumento das atividades físicas a que nos submetemos, tornou-se um local frequente de processos inflamatórios e, consequentemente, de dor.

Esses incômodos episódios ocorrem em decorrência de “tendinite do manguito rotador”, que é a inflamação dos tendões que revestem o ombro, pela inflamação das bursas (bolsas sobre os tendões) que facilitam o deslizamento destes, e, por calcificações, luxações e artrites.

Muitas dessas doenças podem ser tratadas com fisioterapia, porém algumas necessitam de correção cirúrgica.

A grande maioria dos problemas da articulação do ombro envolve músculos, ligamentos e tendões, e mais raramente os ossos. Portanto, não se deve negligenciar desconfortos sentidos nessa região.

Ao menor sinal de dor, deve-se procurar um ortopedista de sua confiança para que seja realizado um diagnóstico preciso. É importante que o problema seja solucionado adequadamente e de maneira rápida, pois quanto mais precocemente iniciado o tratamento, melhor o prognóstico e mais cedo o paciente poderá retornar às atividades diárias sem sequelas e/ou limitações

Instabilidade no ombro

Além dos esportistas, as lesões nos ombros também podem atingir desde pessoas sedentárias até atletas “de final de semana”. Dos 35 aos 45 anos, a causa mais frequente de lesões no ombro é o trauma agudo que ocorre ao executar, por exemplo, um movimento de arremesso. Acima dos 50, o problema nessa região do corpo atinge mais as pessoas que praticam atividades aos finais de semana, e, entre os 60 e 70, esse tipo de lesão atinge mais as mulheres e, em geral, são lesões degenerativas, ou seja, em decorrência do envelhecimento dos tecidos.

Os pacientes que luxam (deslocam) o ombro, produzem lesões nos ligamentos e na cartilagem da região. Essas luxações são secundárias, se comparadas a traumas ou a fatores genéticos, que provocam elasticidade intensa dos ligamentos.

As lesões no ombro por trauma podem, a princípio, não incomodar, porém, a cada luxação, o número de lesões aumenta podendo levar a um desgaste precoce da articulação, causando também, instabilidade no membro.

Os pacientes acabam limitando suas atividades pelo medo de luxar o ombro, o que não se justifica, já que o tratamento cirúrgico traz excelentes resultados.

Atualmente, a técnica cirúrgica artroscópica alcançou resultados semelhantes à antiga técnica aberta, com a vantagem de ser um procedimento minimamente invasivo.

ALGUMA DÚVIDA?

Vamos adorar ouvi-lo e responder quaisquer dúvida.

Not readable? Change text.