Pé e Tornozelo

A especialidade em pé e tornozelo, além do tratamento médico, também promove o bem-estar e conforto da estrutura que suporta todo o peso do nosso corpo, assumindo um caráter, portanto, preventivo.

Quem vai iniciar uma atividade física, deve começar devagar e com pouca ou quase nenhuma sobrecarga, sempre com orientação médica. Iniciar a prática esportiva de maneira abrupta e exagerada só te fará correr riscos, pois esse comportamento pode acabar prejudicando as estruturas músculo esqueléticas, entre elas os pés.

Inúmeras lesões podem acometer os nossos pés, e, como exemplo, podemos citar neuromas, calosidades, dores no calcanhar, tendinites e fraturas de estresse. São necessárias informações e orientações consistentes e fundamentadas para compreendê-las e tratá-las adequadamente.

Sabemos que existem muitas questões e paradigmas sobre o assunto. Estamos certos que podemos ajudá-los com o conhecimento e tecnologia que dispomos no Vita.

Calçados esportivos

O movimento de uma pisada, por mais simples que possa parecer, pode ser classificado em tipos e requer um esforço concentrado para ser executado corretamente.
Existem diferentes formas de pisar e, acredite, você mesmo pode nos ajudar a determinar a sua. O primeiro passo é segurar seu tênis e prestar atenção em como é o padrão de desgaste da sola e do tênis em geral. Isso é importante no diagnóstico e no tratamento das patologias dos pés.

Cuidado ao comprar um calçado. Aliando-se à companhia, é importante que o calçado usado para correr/caminhar seja adequado. Atualmente, comprar um par de tênis para a prática esportiva, pode ser considerado um investimento. O tênis correto representa 90% da saúde de seus pés, músculos e articulações. Nem sempre o mais caro é o melhor para você! Alguns “avanços tecnológicos” podem aumentar seus gastos, sem – necessariamente – melhorar sua performance esportiva.

Não basta colocar um tênis, um shorts, vestir uma camiseta e começar a se exercitar. Os cuidados são indispensáveis, então não se arrisque. Nós conseguimos identificar, de maneira precisa, o seu tipo de pisada com o auxílio de estudos biomecânicos e cinemáticos do nosso Laboratório de Performance do Movimento.

Joanete

Se você possui um aumento de volume e desvio lateral da articulação do dedão do pé, além de dor, isto se chama joanete ou, tecnicamente, hálux valgo. Normalmente é uma deformidade progressiva sem causa aparente e com alto grau de hereditariedade. Raramente o joanete é causado por calçados inadequados.

A correção do joanete promove, além da melhora estética, um ganho significativo na função dos pés. Uma importante parte do tratamento é utilizar calçados adequados com o perfil dos pés, que não produzam nenhuma área de pressão localizada e que também não forcem o desvio do hálux (como sapatos de bico fino).

Nos casos um pouco mais avançados, com a utilização de instrumentais ortopédicos de última geração e com a melhora inquestionável das formas de analgesia pós-operatórias, temos a possibilidade de realizar cirurgias com maior precisão, controle da dor e retorno rápido às atividades diárias.

Na fase inicial do problema, só o uso destes calçados já consegue aliviar a dor e até evitar ou adiar as intervenções cirúrgicas no dedão do pé!

Entorse de tornozelo

Quem nunca sentiu a dor que surge ao torcer o tornozelo é privilegiado! Essa dor intensa do tornozelo é rapidamente seguida por um inchaço e, muitas vezes, um aquecimento do local. Entorses no tornozelo são muito frequentes e podem ocorrer durante a prática esportiva ou mesmo em atividades do nosso cotidiano como subir uma escada ou andar em uma calçada esburacada, por exemplo.

Na maioria das vezes, as torções no tornozelo são acompanhadas por lesões ligamentares, que respondem bem e adequadamente ao tratamento clínico, sem a necessidade de correção cirúrgica.

Se você se deparar com uma torção do tornozelo, não se desespere. Caso apresente dor e inchaço, evite apoiar o pé no chão, faça uma compressa de gelo no local de 15 a 20 minutos, mantenha a perna elevada, imobilize a região e procure assistência especializada para uma melhor avaliação.

O uso de gesso para o tratamento de entorses do tornozelo é cada vez menos indicado, então não aceite esse método sem antes saber – exatamente – se é necessário.

Lesões ósseas, tendíneas e da cartilagem do tornozelo podem acompanhar as lesões ligamentares, devendo ser diagnosticadas precocemente para que sequelas articulares sejam evitadas.
Quando as entorses se tornam repetitivas, deve-se consultar um especialista para que ele avalie e auxilie na prevenção de problemas futuros nessa região, além de descobrir o porquê das sucessivas ocorrências.

Em determinados casos, o tratamento cirúrgico deve ser considerado, tanto para a melhora da função do tornozelo, quanto para aliviar a dor e/ou para evitar a evolução das lesões. O uso da artroscopia, procedimento realizado através de micro câmeras que aumenta o campo de visão do médico e que permite o acesso a pequenos espaços, possibilita a realização de cirurgias indiscutivelmente eficazes, menos dolorosas, com cicatrizes bem menores e com uma recuperação mais rápida.

ALGUMA DÚVIDA?

Vamos adorar ouvi-lo e responder quaisquer dúvida.

Not readable? Change text.