RECUPERADO, RICARDO “CARCACINHA” VOLTA AO OCTÓGONO EM FEVEREIRO DE OLHO NO CINTURÃO

 In Notícias

Invicto no UFC, Ricardo Ramos, o “Carcacinha” (na imagem, entre os físios do Vita Sérgio Souza, à esquerda, e Ivan Momesso), visitou o Instituto diariamente por algumas semanas, em novembro, para recuperar-se de lesão no dedo mínimo da mão direita. Após a alta, passou por avaliação no LPM do Vita, quando se constatou que estava apto e pronto para a volta ao octógono, prevista para o dia 02 de fevereiro, contra o russo Said Nurmagomedov.

Ricardo Ramos, conhecido também como “Carcacinha”, está pronto para seguir sua jornada rumo ao cinturão do peso-galo (até 61kg) do UFC. Invicto na principal liga de MMA do mundo, o lutador brasileiro visitou diariamente o Vita por algumas semanas para recuperar-se de lesão no dedo mínimo da mão direita, que o tirou do UFC Denver (EUA), realizado no dia 10 de novembro de 2018.

Recuperado, Ricardo já tem compromisso marcado para o UFC Fortaleza (BRA), no dia 02 de fevereiro de 2019, quando enfrentará o russo Said Nurmagomedov, primo de Khabib Nurmagomedov, algoz do polêmico irlandês Conor McGregor.

No dia 20 de dezembro, o portal de notícias UOL publicou reportagem sobre o retorno de Ricardo (clique aqui para ler reportagem), que fez questão de citar o trabalho realizado, no Vita, pelo fisioterapeuta Sérgio Souza.

QUATRO SEMANAS DE RECUPERAÇÃO

Clique aqui para ler reportagem feita pelo UOL, no dia 20 de dezembro, sobre o retorno de Ricardo e o trabalho realizado no Vita.

“Ricardo teve uma rotura completa do ligamento colateral radial da metacarpofalangeana do quinto dedo e uma fratura por avulsão na inserção desse ligamento. O tratamento foi feito de forma conservadora [sem procedimento cirúrgico] e durou quatro semanas com sessões diárias de fisioterapia”, explica o físio do Vita.

Segundo Souza, por se tratar de um atleta de alto desempenho, Ricardo foi orientado a manter sua rotina de treinamentos desde que não sobrecarregasse a região em tratamento. “Assim foi feito, de forma gradual e orientada, até que o tratamento cumprisse seu papel e novo diagnóstico o liberasse à retomada da rotina normal de treinos.”

Após a alta, no início de dezembro, Ricardo passou por Avaliação de Retorno a Esportes de Combate, no Laboratório de Performance do Movimento (LPM) do Vita. “Por meio da avaliação, constatou-se que ele estava apto e pronto para a volta ao octógono”, diz Souza.

Recommended Posts

Leave a Comment

ALGUMA DÚVIDA?

Vamos adorar ouvi-lo e responder quaisquer dúvida.

Not readable? Change text.